sábado, 30 de novembro de 2013

]

Olhares que se cruzam espontaneamente...
 Quando se cruzam se unem da maneira mais sensual que olhos podem se olhar, aqueles são “olhos de comer” e se comem em brasa, em constante fome por poucos segundos.
Um simples toque...
Toque de dedos em mãos...
Toque esse que leva ao delírio interior, que faz o pensamento emergir-se em fantasias. E a vontade dos dedos e mãos é fazer desse pequeno toque uma carícia eterna.
Esse pequeno toque que causa por dentro um arrepio cálido e gélido ao mesmo tempo é um toque que simboliza um desejo não concretizado.
Pensamento voa longe e encontra você...
Você que faz de mim mais uma boca no mundo que deseja saciar-se, perder-se dentro de ti, desejando sentir o toque quente de seus lábios macios, desejando sentir sua língua brincar em minha boca explorando-a incessantemente.
Vontade de entrelaçar os corpos, de emergir nas águas que exalam prazer e vontade.
Vontade de querer estar sempre perto, de perder-se em seu riso descomposto.
Vontade de viver o que não foi vivido.
Vontade de encontrar em você o “eu” que me falta.

domingo, 17 de novembro de 2013


Pessoas sz



"Eu queria. Mas já não consigo dar passos tão largos. Eu ando desesperançado com as novas canções que duram pouco e repetem sempre a mesma letra. A história da moça que se apaixonou pelo moço, mas achou que estava perturbando e resolveu ligar só mais tarde demais. Mas vamos tocar a vida do jeito que dá. Não vou tirar o pé da tábua. E ainda falo pra deus: manda mais que eu mato no peito."


Preciso admitir, sou muito irônica, e grossa as vezes, um pouco meiga de vez em quando. Gosto do meu lado apaixonada, mas quase nunca aparece. E meu lado safado chega a me assustar. Protetora e ciumenta ao extremo. Tenho um gênio difícil e um temperamento forte. As vezes sou barraqueira, outras, calma até demais. Dura como uma pedra e frágil como um vidro. Um poço de orgulho, e mais conhecida como a rainha do drama, essa sou eu. E sabe o que mais me assusta? Ainda tem gente que gosta.”

"Gaste seu amor. Usufrua-o até o fim. Enfrente os bons e os maus momentos, passe por tudo que tiver que passar, não se economize. Sinta todos os sabores que o amor tem, desde o adocicado do início até o amargo do fim, mas não saia da história na metade. Amores precisam dar a volta ao redor de si mesmo, fechando o próprio ciclo. Isso é que libera a gente para ser feliz de novo."


"Por isso eu acho que a gente se engana, às vezes. Aparece uma pessoa qualquer e então tu vai e inventa uma coisa que na realidade não é. E tu vai vivendo aquilo, porque não aguenta o fato de estar sozinho."


"Estou numa confusão absoluta, não sei o que ler, o que escrever, o que fazer. Só sei que estou sentindo falta de alguma coisa…"


terça-feira, 5 de novembro de 2013

NÃO EXISTE DIA RUIM - Fabrício Carpinejar


Não existe dia ruim. Sempre há chance do dia ser feliz. Mesmo que seja tarde. Mesmo que seja de madrugada. Uma gentileza salva o dia. Um bife milanesa salva o dia. Uma gola branca e engomada salva o dia. Uma emoção involuntária salva o dia.

Nunca o dia está inteiramente perdido. Não devemos acreditar que uma tristeza chama a outra, que se algo acontece de errado tudo então vai dar errado. Lei de Murphy não foi aprovada pela Câmara dos Deputados.

Confio no improviso, na casualidade, no movimento das cortinas na janela.

Até o último minuto antes da meia-noite, você pode resgatar o contentamento. É uma gargalhada do filho diante da papinha, transformando a cadeira num imenso prato. É algum amigo telefonando para confessar saudade. É sua mulher procurando beijar a orelha mandando sinais de seu desejo. É o barulho da chuva na calha, é o estardalhaço do sol na varanda. É encontrar - iniciando na tevê - um filme que adora e já assistiu cinco vezes. É oferecer colo ao seu gato. É planejar uma viagem de férias. É terminar um livro que abandonou pela metade. É ouvir sua coleção de LPs da adolescência. É comprar uma calça jeans em promoção. É adormecer no sofá e receber a coberta silenciosa de sua companhia. É a possibilidade feminina de passar um batom e pintar as unhas. É possibilidade masculina de devolver a bola quando ela sobe a cerca num jogo de crianças

A felicidade é pobre. A felicidade precisa de apenas um abraço bem feito.

Sigo esperançoso. Não coleciono tragédias. Sofro e apago. Sofro e mudo de assunto, abro espaço para palavras novas, para lembranças novas.

Vejo o esforço da abelha tentando sair do vidro, e não sou melhor do que ela. Vejo o esforço da formiga carregando uma casca de laranja, e não sou melhor do que ela. Viver é esforço e nos traz a paz de sonhar – querer não fazer nada é que cansa.

Não existe dia que não ganhe conserto. Não existe dia morto, dia de todo inútil.

Não desista da alegria somente porque ela se atrasou. Pode ter recebido esporro do chefe, ainda assim a hora está aberta. Comer um picolé de limão é capaz de restituir sua infância.

Não encerre o expediente com o escuro do céu. Pode não ter grana para pagar as contas e ter que escolher o que é menos importante para adiar, ainda assim é possível se divertir com o cachorro carregando seu chinelo para o quarto.

Quando acordo com o pé esquerdo, sou canhoto. Não existe dia derrotado.

(...) Gostaria de entender esse fascínio que algumas mulheres têm pelos cafajestes. O cara é um zero a esquerda, paspalho, mané e ainda mexe contigo? O negócio só pode ser físico, de pele...impossível, pra quem é saudável e tem alguns parafusos no lugar, amar um cretino desses! Os canalhas usam o melhor artifício que existe para conquistar e fisgar uma mulher: a fala. Elogios, galanteios, etc. (...) Bonzinho faz amor. Canalha te joga contra a parede. Bonzinho leva flores. Canalha desliga o telefone na tua cara. Bonzinho chama de linda. Canalha de gostosa.