domingo, 22 de setembro de 2013

Eu que não amo você - Engenheiros do Hawaii



Eu que não fumo, queria um cigarro
Eu que não amo você
Envelheci dez anos ou mais
Nesse último mês
Eu que não bebo, pedi um conhaque
Pra enfrentar o inverno
Que entra pela porta
Que você deixou aberta ao sair.


Não existe regra, fórmula, isso ou aquilo. O que existe é a felicidade, Dona Moça, batendo na tua janela. Vai ser feliz. Toma o que é teu por direito.



"Toda mulher que vai embora quer ser procurada, seu retardado. Mesmo que ela não goste mais de você. Faz bem pra alma, sei lá. Um homem pedinte é um catalizador de desprezo feminino, e isso confirma que largar tudo é a coisa certa. Mulheres precisam de confirmações. Você devia saber uma coisa dessas."


"Espero que eu conserve essa capacidade quase doída de saber ver com os olhos da alma o lado bom das coisas. Porque sempre tem."


domingo, 15 de setembro de 2013


A porta está fechada, não adianta bater. E foi tão bom constatar que não me atinge mais. Não me entristece, não me aborrece, não me tira o sono. Passa por mim. Mas, não me atravessa. Foi-se o tempo. E foi-se o tempo faz tempo.”


Um pouco de Buarque para minha amada Adêh Santo


Se entornaste a nossa sorte pelo chão
Se na bagunça do teu coração
Meu sangue errou de veia e se perdeu ♪ 



domingo, 8 de setembro de 2013


Sou o abismo perdido entre o não-ser e a escuridão. Sou o desejo e alma, correndo nua na meia-noite esquecida, procurando aquilo que não é, mas pode vir a ser; o verdadeiro anseio, a paixão.




"(...) acredite, hoje, estamos melhores separados. Ou, ao menos, mais verdadeiros."


Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse
real na sua vida, que zela pela sua felicidade, que se
preocupa quando as coisas não estão dando certo, que
sugere caminhos para melhorar, que coloca-se a postos
para ouvir suas dúvidas e que dá uma sacudida em você,
caso você esteja delirando...


Eu só te peço uma coisa. Pare de culpar a vida. Pare de ter pena de você. Se assuma. Se aceite. Se culpe. Se estrepe. Se mate. Mas se perdoe. Pelo amor de Deus, se perdoe.'


Mulher não desiste, se cansa. A gente tem essa coisa de ir até o fim, esgotar todas as possibilidades, pagar pra ver. A gente paga mesmo. Paga caro, com juros e até parcelado. Mas não tem preço sair de cabeça erguida, sem culpa, sem ‘E se’ ! A gente completa o percurso e ás vezes fica até andando em círculos, mas quando a gente muda de caminho, meu amigo, é fim de jogo pra você. Enquanto a gente enche o saco com ciúmes e saudade, para de reclamar e agradece a Deus! Porque no dia que a gente aceitar tranquilamente te dividir com o mundo, a gente não ficou mais compreensiva, a gente parou de se importar, já era. Quem ama, cuida! E a gente cuida até demais, mas dar sem receber é caridade, não carinho! A gente entende e respeita seu jeito, desde que você supra pelo menos o mínimo das nossas necessidades, principalmente emocionais, porque carne tem em qualquer esquina. Somos damas, somos dramas, acostumem-se. Mulher não é boneca inflável, só tem quem pode! Levar muitos corpos pra cama é fácil, quero ver aguentar o tranco de conquistar corpo e alma, até o final.”




Ah, como eu queria que as pessoas pudessem, ainda que por um dia, fazer tudo de coração. Sem cobrar, sem esperar, sem querer que alguém veja e aplauda. Ah, como eu queria não ter esse lado humano que faz porque quer, mas que espera alguma retribuição porque pensa se-eu-posso-fazer-o-outro-também-pode.