domingo, 8 de setembro de 2013


Sou o abismo perdido entre o não-ser e a escuridão. Sou o desejo e alma, correndo nua na meia-noite esquecida, procurando aquilo que não é, mas pode vir a ser; o verdadeiro anseio, a paixão.


Um comentário:

  1. Sim... és o doce fascinio de todos os abismos!...


    Beijos!
    AL

    ResponderExcluir