domingo, 7 de abril de 2013


Mais um dia, dádiva divina, início de tudo, sol, calor, cores vivíssimas, a água que sacia a boca, molha os lábios. Em algum lugar chove até transbordar sobrevivência ou deixar um buraco onde antes havia uma pessoa, uma família. Notícias de jornais são sempre tristes. Mas algumas delicadezas: uma árvore foi salva, uma roseira deu botão, as violetas estão calmas, alguém acordou com uma atitude pronta para mudar toda sua vida. Mais um dia dádiva, divino este início de tudo. Hoje, uma Outra eu, não a mesma que foi dormir ontem: experiências agregam, amanhecemos sempre diferentes. Mais um dia e nenhum outro dia em nossas vidas será igual a este. Quanta novidade guardada numa noite finda.
Hoje eu me perdoo e me permito: evitar o que machuca ou promover o que enriquece e que não foi feito (ainda). 


Nenhum comentário:

Postar um comentário