segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Estranho seria se eu não me apaixonasse por você ♫



Um momento faz tão bem, tão feliz. Há momentos que deviam ser eternos. Aquele olhar apaixonado, o abraço caloroso, o beijo sob a luz das estrelas, o palpitar do coração, o gelar das mãos... A felicidade é tão instantânea, que certas vezes duvidamos se ela existe, porém, nas vezes em que estamos próximos vejo que a felicidade realmente existe, por mais que dure só minutos, as palavras e gestos fazem da minha felicidade a maior do mundo, e bate aquela vontade de parar o tempo só para ficar próximo de tudo que me faz falta, de você.

[Título: Nando Reis]

sábado, 28 de janeiro de 2012

Meu Amor, Meu Bem, Me Ame - Zeca Baleiro

Meu amor, meu amor manda
Não vá prá Luanda
Não vá prá Aruba
Se eu descer
Você suba aqui no meu pescoço
Faça dele seu almoço
Roa o osso e deixe a carne...
São os olhos, exatamente os olhos, que eu mais ouço. A vida tem me ensinado, ao longo da jornada, que as palavras muitas vezes mentem. Os olhos, geralmente, não desmentem o que diz o coração.


Já fui mais viciado nos fatos, nas verdades, na vida como ela é. Agora não, não mais. Algumas coisas é melhor nem saber.


A lembrança dói. Meu cérebro tenta descobrir onde fica exatamente a dor, mas logo desiste, porque tudo dói. Estou cansada de viver como se já fosse uma pessoa adulta e madura. Gostaria de voltar a ser criança – uma garotinha de seis anos que caiu da bicicleta. Gostaria de fazer cara de choro e correr aos berros para a cozinha, onde minha mãe me ergueria do chão, me daria um forte abraço e beijaria meu joelho esfolado. Eu pararia de chorar e tomaria leite com chocolate para a dor passar. Essa é uma das coisas que as pessoas não nos ensinam quando falam de crescer: - como lidar com as dores que não passam com um beijo-.


Mas não sou completa, não. Completa lembra realizada. Realizada é acabada. Acabada é o que não se renova a cada instante da vida e do mundo. Eu vivo me completando... mas falta um bocado.



Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal.

Quero fugir do que não é de mim. Quero me livrar do que não me pertence. E me pertencer. Inteira. Profunda. De mim.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Espero que você leia...



E dá aquela saudade cheia de cor e brilho, onde as lembranças se mostram nítidas, o coração se enche de falta e o ar fica cheio do seu perfume; os lábios sorriem involuntariamente ao lembrar de cada risada e de cada beijo dado, a vida se enche de falta do calor do abraço, falta de cada palavra ao pé do ouvido. Ao longe, se toca aquele música, a que mais marcou e minha mente revive sozinha, no silêncio do meu quarto, momentos já passados e quem sabe até esquecidos, porém, lembrados fielmente por uma alma que transborda de tanta saudade.
‎"...E que fique muito mal explicado.
Não faço força para ser entendido.
Quem faz sentido é soldado..."

Anjo de Guarda Noturno - Maria Gadú

Meu anjo de guarda noturno:
Você é quem sabe tudo.
E quando eu peço proteção
Não é pra fugir do ladrão
Nem pra me esconder na igreja
Eu quero é que deus nos proteja
Das dores do coração

Outro dia parei pra pensar nessa tal espera.
Na mente o retrato,
um fato já gasto:
resquícios do que houvera.
Não se arranca uma saudade do peito,
mas depois que ela se aquieta,
se percebe quem realmente vale apena.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Inteiro


Amores pela metade não me satisfazem, meias amizades não me convencem,
um quase sorrir não me contenta, um pouco de paz não me tranquiliza,
estar perto não diz que cheguei, "foi por um triz" não me consola.
Eu não me dou em pedaços, não quero meias esperanças, nem ser feliz pela metade.
Não quero meias palavras, não gosto de meios termos, não quero meias verdades
se for pra ser, que seja. Por inteiro.





Você, a insegurança em pessoa, me passa segurança. Uma total contradição. Dessas que não faço a menor questão de entender. Dessas que faço a maior questão de mergulhar. Tem cheiro de flor quando abre, riso de rio quando deságua. Tem nascente na alma, corre feito mar, desses cheios de segredos, profundo, com ondas altas, perigos escondidos e histórias que ninguém sabe. Tem a transparência que o mar tem, o doce mistério de um rio. Tem o que eu preciso pra mim, o que eu quero, o que eu procuro, é tudo que eu tenho, é minha vida em você agora.

"O coração às vezes é contido pelos alaridos interrogados da minha mente, e mesmo que ele queira esquivar - se do que sente , convenço - o de que melhor é viver o que sempre esteve prestes a acontecer. Por que por mais que minhas palavras entornem razão, a emoção que as expulsa é mais forte do que qualquer raciocínio lógico. Fechando os olhos ao sentir tais palavras que me caem com uma luva de pelica, eu aceito. É incabível não viver o que se sente."

sábado, 21 de janeiro de 2012


Inevitavelmente tarde
Sinto o último suspiro,
o último beijo,
te perco num relance.
de repente, me perco.
Tiro suas mãos dos ombros,
persuadindo a razão,
com lágrimas que ainda buscam o seu corpo,
retiro da mente o que não cabe no coração.


Foi só o pacto de fidelidade que tenho comigo mesma, desde me conheço por gente. De me entregar aos impulsos, deixar consumir essas vontades, arriscar. Sabendo ser o melhor para mim, na sua insistência em contato e proximidade, agi. Meio cega, um pouco maluca, mas uma pena que as explicações não tenham chegado à tempo.


Não gosto do transitório, do provisório. Gosto do Eterno.


''Eu não entendo, apenas sinto. Tenho medo de um dia entender, e deixar de sentir.'' 

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012



Anota aí para seu futuro: desapegar das pessoas, se importar menos, não se abalar por nada nem ninguém. correr atrás daquilo que faça seu coração vibrar, ficar perto de quem te quer bem. correr atrás dos seus sonhos, se amar mais. esquecer tudo aquilo que te faça mal.

Caneco 70 - Nando Reis

Não sei quantas vezes te deixei bem triste
Não sei se comigo foi feliz, ou não
Não sou exatamente o cara mais fácil que existe
Mas posso te dizer que para sempre
Te trarei dentro do meu coração


Nota de esclarecimento:

Queridos leitores, venho justificar minha ausência nesse cantinho. Passei por "maus bocados" com meu querido computador. Mas, eis-me aqui, cheinha de saudade de todos que passam por aqui. E prometo descontar minha ausência com belas postagens.
Um grande beijo da Nay :)



sábado, 14 de janeiro de 2012



Mas, não deixe para depois. Depois é um tempo sempre duvidoso. Depois é distante daqui. Depois é sei lá.

Afinal, se coisas boas se vão é para que coisas melhores possam vir. Esqueça o passado, desapego é o segredo.
Sofrer dói. Dói e não é pouco. Mas faz um bem danado depois que passa. Mas agora, com sua licença. Não dá mais para ocupar o mesmo espaço. Meu tempo não se mede em relógios. E a vida lá fora, me chama.

"(…) Mas não me consolem: da minha dor, sei eu." 


Lá no fundo, bem lá no fundo, a gente sempre sabe quando está amando. Não precisa ninguém dizer, basta reparar nas coisas que escreve e que diz, nos olhares e sorrisos bobos que escorregam vez em quando. É o mesmo que balões coloridos que se misturam no azul do céu, de uma liberdade que mesmo inventada, é liberdade. Uma liberdade que é plena e verdadeira, que não pode ser guardada, se fosse guardada não seria.
É tudo que eu queria te dizer. Eu não quero mais. Será que você pode ao menos tentar seguir sem mim?
"Alguém dentro de mim mente para me proteger."

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

‎"Nunca soube o que fazer
com os espaços que ficam
depois que alguém vai embora"


As coisas só começam a acontecer quando a gente resolve seguir em frente de algum jeito, por algum meio." 

Paro por segundos, e analiso toda essa andança defeituosa, minhas últimas ações, os ultimatos, a fuga breve e com explicações capengas. E você, tão injusto, volta à tona com essa questão, num jeito bem rude, grosseirão mesmo, pedindo só uma explicação, no meio de toda essa raiva aparente e que me pegava totalmente desprevenida de ataques pungentes, guerras sem aviso prévio.


É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de
braço. É assim que é o laço: um abraço no presente, no cabelo, no vestido,
em qualquer coisa onde o faço.


domingo, 8 de janeiro de 2012



Eu me irrito com facilidade, e o que mais me irrita é sua ausência. Falta de seu abraço forte, seu cheiro doce, seu sorriso sincero, seu olhar terno. Falta de nossas conversas, das ligações, das mensagens, falta dos apelidos bobos, falta de perder tempo com você. Falta dos bons momentos juntos, falta de cada palavra trocada, falta das lágrimas caídas ao seu lado. Falta do mundo bonito que você me mostrou, falta da ansiedade de te ver. Uma grande falta, um grande vazio, que foi deixado por você que jurou nunca me abandonar. 

sábado, 7 de janeiro de 2012


É aquela saudade boba, boa, que dói. Dessas que você sente quando vê a outra pessoa fechando a porta depois de um dia lindo juntos. É como se tivéssemos passado o dia inteiro, como se você tivesse acabado de sair por aquela porta e eu fui atrás de você, te enchendo de beijos, pedindo pra ficar mais um pouco. É dessa saudade que ando falando. Essa de te ter comigo, e ao mesmo tempo querer mais, como se não tivesse.
Estou com saudade de mim. Ando pouco recolhida, atendendo demais ao telefone, escrevo depressa, vivo depressa. Onde está eu? Preciso fazer um retiro espiritual e encontrar-me enfim - enfim, mas que medo de mim mesma. ”
Não quero mais o beijo molhado, o derretimento castanho dos olhos, o sorriso sacana. Não creio mais em tardes febris ou saudades desesperadas. Tudo é verbo, verso, papo furado. Tudo pode ser rasgado, cuspido, jogado no lixo. Obra prima perdida em rasuras. Poesia sem calor de corpo. Paixão destituída de loucura. Fogo morto. Não quero mais o encaixe de tudo, o perfume da pele, a carícia dos dedos. Não creio mais em noites acesas, em madrugadas intensas, em manhãs de luxúria. Tudo é fome e desejo de saciedade. Tudo é espera por novidades. Displicência de afetos, perda de tempo, sexo sem vontade. Não quero mais sensações de eternidade, abraços pra sempre, sussurros de amor. Creio em frases desacompanhadas, em palavras cruas, textos sem autor. Tudo é falta de comprometimento, tudo é vácuo, vazio, relento. Tudo é falta de rumo, um peito apertado, tristeza sem dor…


Porque é tão mais fácil aturar a vida sabendo que tem você.



quinta-feira, 5 de janeiro de 2012


‎"Sou uma mulher madura, que as vezes brinca de balanço. 
Sou uma criança insegura, que as vezes anda de salto alto"
Eu não quero viver longe de você. Digo, viver sem falar contigo, sem saber como foi o seu dia, o que você fez, como esta se sentindo.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Um novo ano, uma nova etapa, a mesma vida, quem sabe novos amigos, novos sorrisos, novas bebidas, menos noites em claro, mais dias de alegria. Somas, multiplicações, divisões e subtrações não se adequam só à matemática, como só temos uma vida, que pode acabar daqui a dois milésimos, é bom aproveitar, adicionar felicidade, subtrair a solidão, multiplicar a fé e dividir o amor, o abraço, o carinho que temos guardado. Tenho percebido que viver é magnífico quando se tem um motivo pra acordar feliz. Enfim, esse é o tempo de plantar sorrisos. 

‎"Sou egoísta, impaciente e um pouco insegura. Cometo erros, sou um pouco fora do controle e às vezes difícil de lidar, mas se você não sabe lidar com o meu pior, então com certeza, você não merece o meu melhor."

Se você já sentiu vontade de ser lida pelo mundo, sabe como me sinto agora.