sábado, 14 de julho de 2012


"Para fluir comigo, a vida pedia que eu soltasse o medo e me entregasse. 
Que dissesse sim. 
Que acreditasse nela. 
Eu não sabia como fazer, mas sentia, entre as contrações, que ela estava fazendo por mim, através de cada experiência que eu atraía para o meu caminho.
Naquele dia, grande, acordei com a sensação de que o tempo era outra coisa. De que a vida era outra coisa. E eu também."






Nenhum comentário:

Postar um comentário