sábado, 23 de junho de 2012

Espalhe suas levezas e doçuras, desate os nós que o passado deixou e flutue. Se algumas pessoas te desejarem o mal, deseje a elas amor. E felicidade o suficiente pra que vivam as suas vidas e esqueçam de uma vez por todas da sua. Esquece essa gente pequena, dona moça. Não é todo mundo que guarda no peito, um baú feito o seu, cheio de inspiração, flores, cores e delicadezas. Feliz é você, dona moça, que pega o que restou do passado e transforma em poesia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário