segunda-feira, 16 de abril de 2012


Os sentimentos brotam inesperadamente no coração daqueles que não estão esperando por ele. E quando esse sentimento encosta em nosso ser, dá uma reviravolta na vida, dá medo, nos remete à amores antigos e juntos a essas lembranças vêm o sofrimento, e nos vemos fugindo do mais nobre sentimento que há. Por precaução, por covardia? Sim, talvez. Mas, essa fuga se torna necessária, pois ela nos mostra quem realmente somos, mostra que temos medo do medo de amar. Nos fim, percebemos que não adianta correr por todo o mundo para se esconder, pois o amor, a paixão está conosco desde o primeiro momento, primeiro olhar, primeiro sorriso, primeira conversa. Enfim, gostamos de ter trabalho com nós mesmos para depois assumir pra nossa alam que toda a fuga não passa de amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário