sábado, 11 de fevereiro de 2012


"O coração às vezes é contido pelos alaridos interrogados da minha mente, e mesmo que ele queira esquivar - se do que sente , convenço - o de que melhor é viver o que sempre esteve prestes a acontecer. Por que por mais que minhas palavras entornem razão, a emoção que as expulsa é mais forte do que qualquer raciocínio lógico. Fechando os olhos ao sentir tais palavras que me caem com uma luva de pelica, eu aceito. É incabível não viver o que se sente."

Nenhum comentário:

Postar um comentário