segunda-feira, 23 de janeiro de 2012



Você, a insegurança em pessoa, me passa segurança. Uma total contradição. Dessas que não faço a menor questão de entender. Dessas que faço a maior questão de mergulhar. Tem cheiro de flor quando abre, riso de rio quando deságua. Tem nascente na alma, corre feito mar, desses cheios de segredos, profundo, com ondas altas, perigos escondidos e histórias que ninguém sabe. Tem a transparência que o mar tem, o doce mistério de um rio. Tem o que eu preciso pra mim, o que eu quero, o que eu procuro, é tudo que eu tenho, é minha vida em você agora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário