sábado, 14 de janeiro de 2012



Lá no fundo, bem lá no fundo, a gente sempre sabe quando está amando. Não precisa ninguém dizer, basta reparar nas coisas que escreve e que diz, nos olhares e sorrisos bobos que escorregam vez em quando. É o mesmo que balões coloridos que se misturam no azul do céu, de uma liberdade que mesmo inventada, é liberdade. Uma liberdade que é plena e verdadeira, que não pode ser guardada, se fosse guardada não seria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário