sábado, 22 de outubro de 2011



Adiar o amor ainda é cumpri-lo.
Fingir que não se sente é exercê-lo.
O amor devora os sobreviventes.
Amor é não precisar de nada.
É precisar do que acontece depois do nada,
ainda que não aconteça.
O amor confunde para se chegar ao mistério.
Quando percebemos estamos amando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário