sexta-feira, 5 de agosto de 2011

“Foi quando eu disse que não queria mais dormir não fosse contigo. E que iria segurar na sua mão até o dia que seu cão voltasse. E se algum dia, olhando pela janela, os cotovelos apoiados, os dedos segurando um cigarro, eu me questionasse novamente o que seria essa tal felicidade, eu queria muito que a cidade gritasse seu nome." 

Nenhum comentário:

Postar um comentário