segunda-feira, 15 de agosto de 2011

E como bate vontade de fazer uma lavagem cerebral e esquecer de todos os momentos vividos ao lado daquele que não quer mais o seu amor. Esquecer cada beijo ardente, cada abraço sincero, cada riso contagiante, cada olhar manso, cada carinho e cada afago.
Esqueceria todas as vezes que fitava seu rosto adormecido com um olhar pedindo para que esse momento eternizasse. fazer com que estes momentos fiquem trancados no fundo de uma gaveta no lugar mais interno de uma alma ferida, que sangra diariamente, mas que luta por sua cura.
Cura de um amor cruel e ao mesmo tempo tão doce que faz dessa cura um vagaroso processo. Porém, para se curar as feridas da alma podemos usar o mais poderoso de todos os remédios - O TEMPO.



Nenhum comentário:

Postar um comentário